quarta-feira, 26 de maio de 2010

AMOR BANDIDO


De onde vem tanta tensão, ciúmes, mágoa e rancor,
misturados a paixao de um adorável sabor?

Por que vivo mesclando emoções contraditórias?
Por que sigo brigando por razões tão irrisórias?

Eu te quero!
Vivo pra te adorar, mas as vezes
eu nem sei se devo rir ou chorar

Curto um sentimento raro, intenso, palpitante.
Na taça das ilusões meu amor é transbordante.

É tão forte essa paixão que absorve minha mente
embora a compreensão arrebata e fere a gente

Meu destino é seguir na trilha da sedução
entre prazeres e pranto,
entre razão e emoção

Vivo um amor total, bandido, leal, vilão
mistura de bem e mal,
nas tramas do coração.

Oriza Martins

sexta-feira, 14 de maio de 2010

EU...MODO DE USAR




Pode invadir
Ou chegar com delicadeza,
Mas não tão devagar que me faça dormir.
Não grite comigo, tenho o péssimo habito de revidar...

Toque muito em mim
Principalmente nos cabelos
E minta sobre a nocauteante beleza.

tenha vida própria,
Me faça sentir saudades,
Conte algumas coisas que me fazem rir...
Viaje antes de me conhecer,
Sofra antes de mim para reconhecer-me...
Acredite nas verdades que digo
E também nas mentiras, elas serão raras
e sempre por uma boa causa.

Respeite meu choro,
Me deixe sozinha,
Só volte quando eu chamar e,
Não me obedeça sempre
que eu também gosto de ser contrariada
Então fique comigo quando eu chorar, combinado?

Me conte seus segredos...
Me faça massagem nas costas
Não fume,
Beba,
Chore,
eleja algumas contravenções.
Me rapte!
se nada disso funcionar...

Experimente me amar!

Martha Medeiros

quarta-feira, 12 de maio de 2010

COMO UMA PHOENIX


Extrapolei nos meus sonhos!!
Inventei personagens...situações...
Vivenciei as mágoas.
Convivi com fracos.
Suportei os falsos.
mas me mantive em pé
mesmo com as pedras me atingindo em cheio.
Varri da alma a revolta inutil
me conformei com o mundo, me conformei com a vida
Com a vida e com o mundo que fiz por merecer!!!
Mas renascerei das cinzas pois,sou como Phenix,
sei quando tenho que morrer
para então, me reconstruir
Mudo a protagonista, mas não a história
Mudo o cenário mas não o roteiro.
Sou música, sou vento, sou furacão,
mas tambem sou tijolo...
construo recomeços.

desconheço autor

DEUS ENSINA


Deus costuma usar a solidão
Para nos ensinar sobre a convivência.
Às vezes, usa a raiva para que possamos
Compreender o infinito valor da paz.
Outras vezes usa o tédio, quando quer
nos mostrar a importância da aventura e do abandono.
Deus costuma usar o silêncio para nos ensinar
sobre a responsabilidade do que dizemos.
Às vezes usa o cansaço, para que possamos
Compreender o valor do despertar.
Outras vezes usa a doença, quando quer
Nos mostrar a importância da saúde.
Deus costuma usar o fogo,
para nos ensinar a andar sobre a água.
Às vezes, usa a terra, para que possamos
Compreender o valor do ar.
Outras vezes usa a morte, quando quer
Nos mostrar a importância da vida.

Fernando Pessoa

quarta-feira, 5 de maio de 2010

METADE




Que a força do medo que tenho
não me impeça de ver o que anseio.
Que a morte de tudo que acredito,
não me tape os ouvidos e a boca.
Porque metade de mim é o que eu grito,
e a outra metade é o silêncio.
Que a música que ouço ao longe seja linda, mesmo que triste.
Porque metade de mim é partida
e a outra metade é saudade.
Que as palavras que eu falo não
sejam ouvidas como prece, nem repetidas com fervor, apenas respeitadas, como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimento.
Porque metade de mim é o que ouço, mas a outra metade é o que calo.
Que esta minha vontade de ir embora se transforme na calma e na paz que eu mereço.
Que esta tensão que me corrói por dentro seja um dia recompensada.
Porque metade de mim é a lembrança do que fui, e a outra metade é um vulcão que convive comigo mesmo e que se torne ao menos suportável.
Que o espelho reflita em meu rosto um doce sorriso que me lembro ter dado na infância.
Porque metade de mim é a lembrança do que fui, a outra metade não sei.
Que não seja preciso mais do que uma simples alegria para me fazer aquietar o espírito, e que o teu silêncio me fale cada vez mais.
Porque metade de mim é abrigo, mas a outra é cansaço.
Que a arte nos aponte uma resposta, mesmo que ela não saiba, e que ninguém a tente complicar, porque é preciso simplicidade para fazê-la florescer.
Porque metade de mim é platéia e a outra metade é canção.
E que a minha loucura seja perdoada.

Porque metade de mim é AMOR e a outra metade também.

...Oswaldo Montenegro

segunda-feira, 3 de maio de 2010

MEIAS VERDADES


Meias verdades, são ditas pela metade
Metades verídicas e metades mal ditas
Destruindo vidas benditas
Que correm soltas pelo tempo
Deixando sonhos vivos a contento
Perdidos no contratempo.
Das meias verdades usadas com veracidade
Por aqueles que fazem das palavras
Caminhos tortos e sombrios
Para destruir os sonhos vivos na alma pura
Dos sentimentos verdadeiros
Que vive o pesadelo
Das inverdades repletas de crueldade
Que destrói a verdade
Suave e meiga da eternidade
Deixando caus e penalidades
Presas nas meias verdades...

..Mario de Almeida

REFLEXÃO