domingo, 31 de outubro de 2010

DA GENTE QUE EU GOSTO...


Eu gosto de gente que vibra, que não tem de ser empurrada, que não se tem de dizer que faça as coisas, mas que sabe o que tem que fazer e que faz.

Gente que cultiva seus sonhos até que esses sonhos se apoderam de sua própria realidade.

Eu gosto de gente com capacidade para assumir as conseqüências de suas ações, de gente que arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho, que se permite, abandona os conselhos sensatos deixando as soluções nas mãos de Deus.

Gosto de gente que é justa com sua gente e consigo mesma, da gente que agradece o novo dia, as coisas boas que existem em sua vida, que vive cada hora com bom animo dando o melhor de si, agradecido de estar vivo, de poder distribuir sorrisos, de oferecer suas mãos e ajudar generosamente sem esperar nada em troca.

Eu gosto de gente capaz de me criticar construtivamente e de frente, mas sem me lastimar ou me ferir.

De gente que tem tato.

Gosto de gente que possui sentido de justiça.
A estes chamo de meus amigos.

Gosto de gente que sabe a importância da alegria e a pratica.

De gente que por meio de piadas nos ensina a conceber a vida com humor.
De gente que nunca deixa de ser animada.

Gosto de gente que nos contagia com sua energia.

Gosto de gente sincera e franca, capaz de se opor com argumentos razoáveis a qualquer decisão.

Gosto de gente fiel e persistente, que não descansa quando se trata de alcançar objetivos e idéias.

Me encanta gente de critério, que não se envergonha em reconhecer que se equivocou ou que não sabe algo.

De gente que, ao aceitar seus erros, se esforça genuinamente por não voltar a cometê-los.

De gente que luta contra adversidades.

Gosto de gente que busca soluções

Gosto de gente que pensa e medita internamente, que valoriza seus semelhantes, não por um estereótipo social, nem como se apresentam.

De gente que não julga, nem deixa que outros julguem.

Gosto de gente que tem personalidade.

Me encanta gente que é capaz de entender que o maior erro do ser humano é tentar arrancar da cabeça aquilo que não sai do coração.

A sensibilidade, a coragem, a solidariedade, a bondade, o respeito, a tranqüilidade, os valores, a alegria, a humildade, a fé, a felicidade, o tato, a confiança, a esperança, o agradecimento, a sabedoria, os sonhos, o arrependimento, e o amor para com os demais e consigo próprio são coisas fundamentais para se chamar GENTE.

Com gente como essa, me comprometo, para o que seja, pelo resto de minha vida… já que, por tê-los junto de mim, me dou por bem retribuído.

Impossível ganhar sem saber perder.
Impossível andar sem saber cair.
Impossível acertar sem saber errar.
Impossível viver sem saber reviver.

A glória não consiste em não cair nunca, mas em levantar-se todas as vezes que seja necessário.

E ISSO É ALGO QUE MUITO POUCA GENTE TEM O PRIVILEGIO DE PODER EXPERIMENTAR.

Bem aventurados aqueles que já conseguiram receber com a mesma naturalidade o ganhar e o perder, o acerto e o erro, o triunfo e a derrota…

Mario Benedetti

sábado, 30 de outubro de 2010

METAMORFOSE...


...Há dias que sou menina, sou doce
quero cuidados, quero colo...

Em outros sou mulher, sou libido...
quero provocar,seduzir...

Há momentos que sou só alegria,
em segundos me transformo
em pura melancolia...

Sou assim, essa inconstância,
lutando contra mim mesma...

Buscando me compreender...

Minha alma é eterna metamorfose...

Vivo entre o bem e o mal,
entre a mulher e a borboleta...
entre a santa e a vadia...
entre a fada doce e o animal sedento,
que devora sua presa com
prazer no olhar...

Posso te dar sonhos...

Posso destrui-los também,
te levar ao ápice do prazer,da dor,
do desejo,da alegria ou da tristeza...

E mesmo assim não viverá sem mim...

Butterfly

terça-feira, 26 de outubro de 2010

MUDANÇAS



Muda o mundo
Mudam as coisas
As pessoas
Mudo eu
Às vezes , muda ...
Muda o verbo
O tempo
O modo
Mudam as indagações
As convicções
As indignações
Muda a confiança
A esperança
De mudar ...

Mena Moreira

terça-feira, 19 de outubro de 2010

TROCANDO DE CAMINHO...


Hoje já não corro mais a duzentos por hora.
Não que eu tenha chegado até seu coração,
mas sim por que desisti de correr neste transito
congestionado de sentimentos confusos e indecisos por você.

Você me mostrou um caminho cheio de curvas,
pontes quebradas e caminhos interditados.

Achei melhor me guardar no meu mar que continua em altas ondas
sem o sabor do teu beijo e o calor do seu corpo
que deve ter o sabor de fruta proibida.

Recapitulei todas as páginas do livro do transito que falavam
da estrada do amor, li várias placas como Pare, Proibido Estacionar.
Aprendi que devo seguir somente para onde as setas indicarem
e que não irei atropelar ninguém.

Assim poderei estacionar sem ser multado por grave infração
ou de ultrapassar a faixa, ou querer estacionar em vaga de outro amor.

Quando chegar sentirei o doce amargo da lembrança
a qual não pode ter saudade daquilo que não se viveu.
Ficarei no estacionamento dos sonhos que com certeza virá à realidade
de que preciso desocupar o lugar e seguir em busca de outros caminhos.

E quem sabe você estará na contra mão e o sinal
se mostrará verde para nós dois.

autor desconhecido

DEFINITIVO...



Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas,
mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.

Sofremos por quê?
Porque automaticamente esquecemos o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções irrealizadas,
por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado do nosso amor e não conhecemos,
por todos os filhos que gostaríamos de ter tido junto e não tivemos,
por todos os shows e livros e silêncios que gostaríamos de ter compartilhado,e não compartilhamos.
por todos os beijos cancelados, pela eternidade.

Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco,
mas por todas as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um
amigo, para nadar, para namorar.

Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco,
mas por todos os momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas
angústias se ela estivesse interessada em nos compreender.

Sofremos não porque nosso time perdeu,mas pela euforia sufocada.

Sofremos não porque envelhecemos,
mas porque o futuro está sendo confiscado de nós,
impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam,
todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.

Por que sofremos tanto por amor?

O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma pessoa tão bacana,
que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez companhia por um tempo razoável, um tempo feliz.

Como aliviar a dor do que não foi vivido?
A resposta é simples como um verso:

Se iludindo menos e vivendo mais!!!

A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos,
nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que nada arrisca, e que,
esquivando-se do sofrimento,
perdemos também a felicidade.

A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional...

Carlos Drummond de Andrade

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

MAIS UMA VEZ...RENATO RUSSO


Mas é claro que o sol
Vai voltar amanhã
Mais uma vez, eu sei...

Escuridão já vi pior
De endoidecer gente sã
Espera que o sol já vem...

Tem gente que está
Do mesmo lado que você
Mas deveria estar do lado de lá
Tem gente que machuca os outros
Tem gente que não sabe amar...

Tem gente enganando a gente
Veja nossa vida como está
Mas eu sei que um dia
A gente aprende
Se você quiser alguém
Em quem confiar
Confie em si mesmo...

Quem acredita
Sempre alcança...

Mas é claro que o sol
Vai voltar amanhã
Mais uma vez, eu sei...

Escuridão já vi pior
De endoidecer gente sã
Espera que o sol já vem...

Nunca deixe que lhe digam:
Que não vale a pena
Acreditar no sonho que se tem
Ou que seus planos
Nunca vão dar certo
Ou que você nunca
Vai ser alguém...

Tem gente que machuca os outros
Tem gente que não sabe amar
Mas eu sei que um dia
A gente aprende
Se você quiser alguém
Em quem confiar
Confie em si mesmo!...

Quem acredita
Sempre alcança...(7x)

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

QUERO AGORA...


Quero agora,
Aprender com as crianças
Os sonhos puros e inocentes.

Quero agora,
Aprender com os velhos
A redescoberta da juventude perdida.

Quero agora,
Aprender com os espíritos elevados
Como melhorar meu caminho.

Quero agora,
Aprender com os pobres de espírito
O quanto cresci e tenho a aprender.

Quero agora,
Aprender comigo mesmo
O que sempre busquei nas outras pessoas.

Quero agora,
Aprender com a luz
Como enfrentar a escuridão.

Quero agora,
Aprender com a escuridão
Como manter a esperança na luz.

Quero agora,
Aprender com a fé
A ter fé em minha própria fé.

Quero agora,
Aprender com Deus
Tudo o que Ele se dispuser a ensinar-me.

Quero agora,
Aprender a perdoar
As pessoas que me magoaram.

Quero agora,
Aprender a compreender
Que o tudo é tão pouco no Universo.

Quero agora,
Aprender a admirar
A beleza singela de cada gesto sublime.

Quero agora,
Aprender a ver
Com os olhos limpos e puros.

Quero agora,
Aprender a agradecer
Pela vida... pelo respirar.

Quero agora,
Aprender a permanecer aprendendo
Tudo o que surgir diante de mim.

André Nunes

FÁCIL X DIFÍCIL


Falar é completamente fácil, quando se tem palavras em mente que expressem sua opinião.
Difícil é expressar por gestos e atitudes o que realmente queremos dizer, ou o quanto queremos dizer, antes que a pessoa se vá.

Fácil é julgar pessoas que estão sendo expostas pelas circunstâncias.
Difícil é encontrar e refletir sobre os seus erros. Ou tentar fazer diferente algo que já fez muito errado.

Fácil é ser colega, fazer companhia a alguém, dizer o que ele deseja ouvir.
Difícil é ser amigo para todas as horas e dizer sempre a verdade quando for preciso. E com confiança no que diz.

Fácil é analisar a situação alheia e poder aconselhar sobre esta situação.
Difícil é vivenciar esta situação e saber o que fazer. Ou ter coragem pra fazer.

Fácil é demonstrar raiva e impaciência quando algo o deixa irritado.
Difícil é expressar o seu amor a alguém que realmente te conhece, te respeita e te entende. E é assim que perdemos pessoas especiais.

Fácil é mentir aos quatro ventos o que tentamos camuflar.
Difícil é mentir para o nosso coração. E como dizia Renato Russo, "mentir pra si mesmo é sempre a pior mentira..."

Fácil é ver o que queremos enxergar.
Difícil é saber que nos iludimos com o que achávamos ter visto. Admitir que nos deixamos levar, mais uma vez, isso é difícil.

Fácil é dizer "oi" ou "como vai?"
Difícil é dizer "adeus". Principalmente quando somos culpados pela partida de alguém de nossas vidas...

Fácil é abraçar, apertar as mãos, beijar de olhos fechados.
Difícil é sentir a energia que é transmitida. Aquela que toma conta do corpo como uma corrente elétrica quando tocamos a pessoa certa.

Fácil é querer ser amado.
Difícil é amar completamente só. Amar de verdade, sem ter medo de viver, sem ter medo do depois. Amar e se entregar. E aprender a dar valor somente a quem te ama

Fácil é ouvir a música que toca.
Difícil é ouvir a sua consciência. Acenando o tempo todo, mostrando nossas escolhas erradas.

Fácil é ditar regras.
Difícil é seguí-las. Ter a noção exata de nossas próprias vidas, ao invés de ter noção das vidas dos outros.

Fácil é perguntar o que deseja saber.
Difícil é estar preparado para escutar esta resposta. Ou querer entender a resposta.

Fácil é chorar ou sorrir quando der vontade.
Difícil é sorrir com vontade de chorar ou chorar de rir, de alegria.

Fácil é dar um beijo.
Difícil é entregar a alma. Sinceramente, por inteiro.

Fácil é sair com várias pessoas ao longo da vida.
Difícil é entender que pouquíssimas delas vão te aceitar como você é e te fazer feliz por inteiro.

Fácil é ocupar um lugar na caderneta telefônica.
Difícil é ocupar o coração de alguém. Saber que se é realmente amado.

Fácil é sonhar todas as noites.
Difícil é lutar por um sonho.

Não conheço o autor

terça-feira, 5 de outubro de 2010

SENTIDOS...


Eu sei o que me move
O que me direciona...
Esse gosto, esse prazer constante
Presente nas buscas e nas conquistas de cada sonho...
Sonhar nunca é demais
E querer tocar nos sonhos não é impossível
Admito, nem sempre é fácil
É difícil, as vezes chega a ser torturante,
Mas, não é impossível.

Tenho comigo a precisão do tempo como aliado
Meu termômetro é a minha temperatura
O que me toca, me acelera, me intensifica...
Me retira todo o corpo e só os meus sentidos atuam
Me comandam, me permanecem...

Tenho em meus olhos dois radares que me alertam
À hora do avanço e da apreensão das coisas invisíveis
Que me dissolvem, me envolvem e me encantam para a vida.
Sei pegar o instante na palma da minha mão
E trazê-lo exato para dentro de mim.

O amor que sonho será um dia conquistado
Não só pela minha ousadia em sonhar este amor, mas
Por não temer a dor de sonhar
E não olhar para os lados da realidade.
Na hora precisa que eu o encontrar
Eu o reconhecerei
E neste sonho me lançarei
Mergulharei fundo,
Sem medos.

sábado, 2 de outubro de 2010

VOCE É....


Você é os brinquedos que brincou, as gírias que usava, você é os nervos a flor da pele no vestibular, os segredos que guardou, você é sua praia preferida, você é o renascido depois do acidente que escapou, aquele amor atordoado que viveu, a conversa séria que teve um dia com seu pai, você é o que você lembra.

Você é a saudade que sente da sua mãe, o sonho desfeito quase no altar, a infância que você recorda, a dor de não ter dado certo, de não ter falado na hora, você é aquilo que foi amputado no passado, a emoção de um trecho de livro, a cena de rua que lhe arrancou lágrimas, você é o que você chora.

Você é o abraço inesperado, a força dada para o amigo que precisa, você é o pelo do braço que eriça, a sensibilidade que grita, o carinho que permuta, você é as palavras ditas para ajudar, os gritos destrancados da garganta, os pedaços que junta, você é o orgasmo, a gargalhada, o beijo, você é o que você desnuda.

Você é a raiva de não ter alcançado, a impotência de não conseguir mudar, você é o desprezo pelo que os outros mentem, o desapontamento com o governo, o ódio que tudo isso dá, você é aquele que rema, que cansado não desiste, você é a indignação com o lixo jogado do carro, a ardência da revolta, você é o que você queima.

Você é aquilo que reinvidica, o que consegue gerar através da sua verdade e da sua luta, você é os direitos que tem, os deveres que se obriga, você é a estrada por onde corre atrás, serpenteia, atalha, busca, você é o que você pleiteia.

Você não é só o que come e o que veste. Você é o que você requer, recruta, rabisca, traga, goza e lê.

Você é o que ninguém vê.

Martha Medeiros

GRANDE OU PEQUENA??


Como se mede uma pessoa? Os tamanhos variam conforme o grau de envolvimento. Ela é enorme pra você quando fala do que leu e viveu, quando trata você com carinho e respeito, quando olha nos olhos e sorri destravado. É pequena pra você quando só pensa em si mesmo, quando se comporta de uma maneira pouco gentil, quando fracassa justamente no momento em que teria que demonstrar o que há de mais importante entre duas pessoas: a amizade.

Uma pessoa é gigante pra você quando se interessa pela sua vida, quando busca alternativas para o seu crescimento, quando sonha junto. É pequena quando desvia do assunto.

Uma pessoa é grande quando perdoa, quando compreende, quando se coloca no lugar do outro, quando age não de acordo com o que esperam dela, mas de acordo com o que espera de si mesma. Uma pessoa é pequena quando se deixa reger por comportamentos clichês.

Uma mesma pessoa pode aparentar grandeza ou miudeza dentro de um relacionamento, pode crescer ou decrescer num espaço de poucas semanas: será ela que mudou ou será que o amor é traiçoeiro nas suas medições? Uma decepção pode diminuir o tamanho de um amor que parecia ser grande. Uma ausência pode aumentar o tamanho de um amor que parecia ser ínfimo.

É difícil conviver com esta elasticidade: as pessoas se agigantam e se encolhem aos nossos olhos. Nosso julgamento é feito não através de centímetros e metros, mas de ações e reações, de expectativas e frustrações. Uma pessoa é única ao estender a mão, e ao recolhê-la inesperadamente, se torna mais uma. O egoísmo unifica os insignificantes.

Não é a altura, nem o peso, nem os músculos que tornam uma pessoa grande. É a sua sensibilidade sem tamanho.

Martha Medeiros

APRENDENDO A VIVER




Aprendi que se aprende errando
Que crescer não significa fazer aniversário.
Que o silêncio é a melhor resposta, quando se ouve uma bobagem.
Que trabalhar significa não só ganhar dinheiro.
Que amigos a gente conquista mostrando o que somos.
Que os verdadeiros amigos sempre ficam com você até o fim.
Que a maldade se esconde atrás de uma bela face.
Que não se espera a felicidade chegar, mas se procura por ela
Que quando penso saber de tudo ainda não aprendi nada
Que a Natureza é a coisa mais bela na Vida.
Que amar significa se dar por inteiro
Que um só dia pode ser mais importante que muitos anos.
Que se pode conversar com estrelas
Que se pode confessar com a Lua
Que se pode viajar além do infinito
Que ouvir uma palavra de carinho faz bem à saúde.
Que dar um carinho também faz...
Que sonhar é preciso
Que se deve ser criança a vida toda
Que nosso ser é livre
Que Deus não proíbe nada em nome do amor.
Que o julgamento alheio não é importante
Que o que realmente importa é a Paz interior.

"Não podemos viver apenas para nós mesmos.
Mil fibras nos conectam com outras pessoas;

e por essas fibras nossas ações vão como causas
e voltam pra nós como efeitos."

"Herman Melville"

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

AMIGOS..


“Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila.
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
(...) Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.
Deles não quero resposta, quero o meu avesso.(...)
Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.(...) Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem,mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos
Quero-os metade infância e outra metade velhice.
Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto: e velhos, para que nunca tenham pressa.
Tenho amigos para saber quem eu sou.
Pois os vendo, loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que “normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril."

Oscar Wilde